Tem gente que chora ao invés de rir.

Contratar o famoso e querido stand up comedy para o evento da empresa é uma ideia que passa pela cabeça de muitos profissionais de marketing de eventos, sempre com a melhor das intenções, é claro.

Mas infelizmente o resultado nem sempre é divertido. Pelo contrário, às vezes é de chorar. E não de tanto rir.Muitas pessoas já viram a cena ou já ouviram de alguém que trabalha na empresa tal e que chamaram aquele famoso humorista da tevê para ser o mestre de cerimônia e fazer “um stand up“, mas deu ruim.

É, isso acontece. Mas não é por acaso. Como um acidente de avião, normalmente tem falha humana envolvida e poderia ter sido evitado. É preciso investigar os erros e se preparar para que não haja um próximo.

Primeiro é preciso mapear o ambiente. Como estarão dispostas as pessoas? Estarão sentadas? Isso influencia e muito no resultado, mas pouca gente tem a boa vontade de se dedicar a esta análise.

E o evento, comporta este tipo de humor? Será que é uma convenção ou confraternização? E em que momento vai acontecer este conteúdo? É como definir a sequência de DJs de uma festa, se a música não combinar com o momento, tudo pode estar perdido… Também é preciso saber como está avançando este conteúdo. Às vezes, colocar um conteúdo de humor na hora errada pode ser uma tragédia.

Celebridades são muito célebres. Na tela da TV. Muita gente contrata assim, só porque é famoso, só para ver de perto um ídolo. Mas, com tantos fatores adversos, pode ser uma exposição totalmente negativa, motivo pelo qual até a celebridade precisa de um bom agente para saber onde está pisando.

Muitas vezes este profissional, apesar de famoso e competente em sua carreira artística, tem pouquíssima ou nenhuma experiência com o público de eventos corporativos, que é uma arte completamente diferente do teatro ou da televisão. Mas também pouca gente quer ou tem humildade para reconhecer isto e aí, meu amigo, é o princípio do apocalipse. Na hora H, quando tudo isto vier à tona, vai ser tarde demais e cabeças vão rolar. Não permita que seja a sua.

A falta de tempo também é sempre um problema. De um lado, o contratante quer decidir muita coisa em cima da hora. Por outro, o artista, quando é do time das celebridades, tem pouco tempo, pois é muito solicitado. Resultado: este stand up corporativo não será customizado e criado com base no perfil do evento. Será apenas a apresentação daquilo que é apresentado em bares e teatros, para públicos e ambientes e atmosferas completamente distintas. Parece óbvio, e é. Mas tem gente que não enxerga ou, por preguiça, acha que isto é banal. Cuidado! Esta fatura vai chegar, na hora da apresentação, constrangendo todo mundo.

Fazer um stand up comedy para empresas não é simples, é preciso avaliar muitos detalhes.

Ainda existe a análise mais importante: saber quem é esta nova plateia e os objetivos dos diferentes protagonistas, as relações existentes entre os chefes e os colaboradores, a expectativa da plateia em comparação à expectativa do contratante, o humor do time, entre outras armadilhas.

É, o fato é que não é tão simples quanto se deseja. É preciso ser detalhista, ser cuidadoso. Enfim, é preciso trabalhar, se aprofundar e aí sim, será possível contar com um especialista, que possa assessorar desde o princípio e conduzir o projeto às melhores escolhas de conteúdo.

Atenção, todo esforço será recompensado!

Postado originalmente em Regis Folco.

Share This